CONSPIRAÇÕES

Contestação, Qualidade de Vida e Atitude na WEB

Posts Tagged ‘auto-ajuda’

Dez regras de etiqueta para a internet

Posted by Fabricio Pessoa em 24 janeiro, 2017

Em tempos de conectividade quase infinita, é muito importante observar algumas regras de conduta dentro de ambientes virtuais, que afinal são extensões de nossa vida física. Sendo assim, elaborei algumas regras importantes para ajudar no seu dia-a-dia eletrônico. Espero que seja útil:

 

  1. Associe corretamente suas ideias com seu texto

Ao enviar mensagens, preste atenção na maneira como expõe suas ideias. O mundo virtual tem muitas armadilhas de interpretação ou de compreensão e elas podem causar um grande mal estar entre as partes que se comunicam, especialmente por conta de erros na forma de se expressarem. Pra ajudar, insira “emocions” e “smiles” em sua mensagem (se esta for informal) para que sua mensagem seja clara e transmita não apenas o conteúdo correto, mas a intenção que está por trás dela.

 

  1. Não grite

Cuidado com o uso exagerado de letras maiúsculas e palavras grifadas ou em negrito nos seus textos porque no mundo virtual elas significam “gritos”, irritação e/ou raiva.

 

  1. Tenha equilíbrio emocional ao escrever qualquer coisa

Não envie emails no calor da emoção porque isso poderá causar uma ressaca moral no dia seguinte. Se recebeu algo que não gostou e lhe tirou do sério, respire e só responda quando tiver mais calmo. A internet não é o local ideal para lavar roupa suja porque tudo que disser poderá dar margem a muitas interpretações.

 

  1. “Minha timeline, minhas regras”

Essa vale para as mídias sociais. Quando uma pessoa escreve em sua própria linha do tempo, ela tem total controle sobre o que postar, bem como tem o direito de manter público ou não os comentários e reações das pessoas sobre sua postagem. Por isso, ao comentar algum post lembre que a opção de aceitar ou não seu comentário não é sua, e sim do proprietário da postagem original.

 

  1. Ambientes difierentes pedem linguagens diferentes

Uma troca de emails do trabalho ou comunicações numa rede colaborativa profissional certamente pede uma forma de linguagem diferente do que, por exemplo, um grupo de amigos do futebol no Whatsapp. Pense no ambiente e no contexto em que você escreverá seu texto, antes de tudo.

 

  1. Pessoas diferentes também pedem linguagens diferentes.

É comum se descuidar dessa regra. Pensamos que, ao escrever (principalmente no Facebook), todas as pessoas com quem temos relações de qualquer tipo irão respeitar ou mesmo concordar com o que escrevemos. Lembre-se que não é assim que acontece, afinal de contas as pessoas são diferentes. Pense também neste detalhe antes de escrever.

 

  1. Procure não abreviar em mensagens formais.

Esqueça as abreviações e o “internetês” em mensagens formais. Lembre-se que a forma como escreverá seus emails certamente refletirá na interpretação que as pessoas terão da sua imagem pessoal e profissional.

 

  1. Você está sendo vigiado

Tenha atenção com tudo o que você escreve e posta nas redes sociais, também porque, atualmente, as empresas não raro monitoram as atividades virtuais dos seus funcionários e (principalmente) daqueles que desejam uma colocação dentro delas. Assim, atente para o teor de suas mensagens, e também para as fotos, notícias e vídeos que você compartilha.

 

  1. Evite o anonimato

Se você se sentir tentada/o a digitar algo anonimamente, lembre que este anonimato é relativo, já que o aparelho de onde você digitá-lo será rastreável. Procure não escrever posts ou comentários de forma anônima, não apenas porque esta atitude desestimula e criação e multiplicação de textos inadequados, como também porque é uma postura de cortesia para com as pessoas em geral.

 

  1. Releia antes de enviar

Seja um post, comentário ou um email, releia a sua mensagem e verifique se nela há erros de português, de concordância ou mesmo se ela passa algum conteúdo diferente do que você realmente deseja. Lembre-se que a internet é a sua vitrine virtual e, portanto, transmite também mensagens a seu respeito – positivas ou negativas.

 

Dúvidas? Sugestões? Críticas? Deixe abaixo seu comentário. Ah, e se gostou, compartilhe esta página!

Obrigado pela leitura!  🙂

Anúncios

Posted in Sem categoria | Etiquetado: , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Filosofia Humanista – Parte 05 – Albert Camus

Posted by Fabricio Pessoa em 3 julho, 2009

(Mensagem originalmente postada em  14 de maio de 2007)

  Muito bem, seguindo na nossa série envio uma coletânea de frases do grande escritor e filósofo argelino ALBERT CAMUS, pelo que convido (ou seria provoco?) a todos para refletir sobre como estas maravilhosas frases se aplicariam em nossas vidas:

“Não ser amado é falta de sorte, mas não amar é a própria infelicidade.”

“Já é vender a alma não saber contentá-la.”

“O homem tem duas faces: não pode amar ninguém, se não se amar a si próprio.”

“Fazer sofrer é a única maneira de nos enganarmos.”

“Os tristes têm duas razões para o ser: ignoram ou esperam”

“Amar é… sorrir por nada e ficar triste sem motivos, / é sentir-se só no meio da multidão, / é o ciúme sem sentido, / o desejo de um carinho; / é abraçar com certeza e beijar com vontade, / é passear com a felicidade, / é ser feliz de verdade!”

“A juventude é sobretudo uma soma de possibilidades.”

“Criar é dar forma ao próprio destino”

 “O homem é a única criatura que se recusa a ser o que é.”

 

Seguem algumas palavras do Presidente Ikeda sobre Camus, proferidas em discurso no Auditório Memorial MAkiguti, em 08 de janeiro de 2002:

 

‘Quando temos coragem, podemos transformar qualquer infortúnio ou sofrimento em sustento para nosso próprio desenvolvimento e força para cumprir nossa missão.(…)

 O famoso escritor francês Albert Camus (1913-1960) escreveu:

“Num mundo em que a pobreza e o absurdo fazem com que tantas pessoas percam sua humanidade, salvar uma única [pessoa] significa salvar a si próprio e também uma pequena parte do futuro da humanidade pelo qual todos nós ansiamos.”

Ao conduzir outra pessoa à felicidade, estamos conduzindo a nós próprios à felicidade. Esta é nossa prática de apresentar outras pessoas ao Budismo de Nitiren Daishonin. Com esses esforços para compartilhar o budismo com os outros, podemos crescer imensamente, realizar a revolução humana e transformar o carma. Essa é a grandiosidade do budismo. O ato de apresentar outras pessoas ao budismo, que nos capacita a beneficiar profundamente a nós próprios e aos outros, é a fórmula da esperança para a humanidade.’ 

Sigamos nos empenhando fervorosamente para que possamos ser pessoas cada vez mais sábias e dedicadas à promoção da paz mundial !!! 

 

 

 

Posted in AÇÕES (qualidade de vida) | Etiquetado: , , , , , , | Leave a Comment »

A ferida mais profunda

Posted by Fabricio Pessoa em 25 março, 2009

Alberto teve uma infância boa, do ponto de vista dos “vizinhos”. Sempre sorridente e bem humorado, vivia em uma família de classe média-alta, num sobrado muito bem localizado em São Paulo. Ele tinha pais vivos e unidos, aparentava gozar de boa saúde e se relacionava com os coleguinhas do colégio de forma totalmente normal.

Mas a realidade que encontrava dentro de seu lar era bem diferente daquilo.

Por conta de todas as constantes brigas que testemunhou entre seus pais, ele começou a perceber que algo estava estranho em sua família, e não tardou para que aquilo se chocasse com sua natureza alegre e inspiradora, o que fez com que se desencadeasse, dentro da (então) infantil cabeça de Alberto, uma enorme falta de compreensão sobre tudo aquilo.

Os meses iam passando, e com o aumento das brigas a incompreensão se transformou na consciência de que aquilo era errado, e com a falta de diálogo que se instalou dentro da família esta consciência fez com que se instalasse em Alberto a tristeza, depois a solidão, e por fim o desespero.

Foi quando Alberto começou a dormir com os braços próximos aos ouvidos, tapando-os para que não ouvisse as brigas,  o que atrapalhou o desenvolvimento normal da ossatura de seus ombros. Além disso, pelo desânimo e perda de energia vital que foram se acumulado neste processo ele também desenvolveu uma aversão a exercícios físicos, o que gerou um quadro de obesidade, ainda que (felizmente) pequena.

E assim, por incontáveis meses e anos Alberto ia dormir com medo. Medo de que a família se separasse. Medo de que as brigas se transformassem em agressões. Medo de que as ameaças pudessem se tornar verdade. Medo de que os sonhos morressem. E medo de que ele mesmo morresse por causa de tudo aquilo…

Frequentemente Alberto ia dormir com taquicardia, tremores e queimação no estômago. Várias vezes desejou não estar ali, para não sofrer com tudo aquilo. Ele pensava frequentemente em sua irmãzinha, temendo que ela um dia viesse a sofrer os mesmos terrores que sentia.

E foi por causa deste isolamento, destes medos e desta falta de estrutura que Alberto desenvolveu um quadro de stress crônico, que o transformaram em uma pessoa com dificuldades para sentir-se totalmente inserida na realidade que o cercava, problemas estes que apenas no início de sua vida profissional puderam ser detectados com mais clareza.

Os problemas que vivenciou em sua infância e adolescência vitimaram também sua irmã – infelizmente confirmando os seus piores temores – a qual mais tarde tornou-se dependente química, tendo que ser internada em uma clínica de tratamento.

Triste com vários problemas que vinham ocorrendo em sua vida adulta, causados por desatenção ou distanciamentos, Alberto resolveu procurar auxílio profissional, e então descobriu o termo médico utilizado para descrever o seu quadro: Alberto era portador de Distúrbio (ou Transtorno) de Déficit de Atenção, uma disfunção das atividades cerebrais que segundo estatísticas aflige mais de um por cento da população mundial.

Alberto se sentiu muito aliviado por saber que seu problema não era algo natural, e que por isso poderia ser ao menos minimizado. Essa percepção lhe deu um novo estímulo na vida, e a partir de então ele passou a ter, graças a uma série de novas condutas, cuidados e escolhas, um desempenho profissional melhor, além de ser uma pessoa mais proativa e de melhor relação com as pessoas à sua volta.

A partir daí, várias vitórias aconteceram (e seguem acontecendo) em sua vida. Hoje, Alberto segue lutanto para controlar os sintomas do DDA, ainda sofre com os efeitos deste mal, mas graças à identificação da causa destes problemas hoje ele se sente esperançoso de que poderá superar os males que vem lhe afligindo, para que finalmente possa um dia se sentir alguém plenamente feliz e no controle de seus atos, suas escolhas, e finalmente de sua vida.

—–

O caso acima é apenas UM entre MILHÕES de casos envolvendo pessoas que sofrem com problemas iniciados na infância devido a distânciamentos entre pais e filhos. É muito importante que todas as pessoas tenham consciência de que o afeto, a aproximação e a criação de um ambiente familiar saudável deve ser visto como uma prioridade não apenas pelos pais, mas por TODAS as pessoas, pois apenas assim casos como o de Alberto – e de tantas outras pessoas – poderão deixar de se repetir, o que evidentemente traria enormes benefícios a toda a sociedade.

Para saber mais sobre o DDA (ou TDA) acesse:

http://www.dda-deficitdeatencao.com.br/

www.universotdah.com.br/

http://www.johnratey.com/newsite/Articles.html

Posted in AÇÕES (qualidade de vida) | Etiquetado: , , , , , , , , | 2 Comments »

Pra pensar: sobre a capacidade do SEU cerébro

Posted by Fabricio Pessoa em 5 março, 2009

Muita gente acha que tem limitações cerebrais, ou que já passou do tempo de aprender ou de fazer algo novo, devido à sua idade, condição de vida ou de fatores externos. Pois bem, segue abaixo uma ótima notícia, vinda do campo da neurociência:

“Não somos prisioneiros dos nossos genes ou de nosso meio ambiente. Pobreza, alienação, drogas, desequilíbrios hormonais e depressão não ditam o fracasso. Riqueza, aceitação, alimentação de base vegetariana e exercícios físicos não garantem o sucesso. O nosso próprio livre-arbítrio pode ser a mais poderosa força a dirigir o desenvolvimento de nossos cérebros e, portanto, nossas vidas. (…) Quando consideramos o cérebro como se fosse um músculo que pode ser debilitado ou fortalecido, podemos exercer a nossa capacidade de determinar quem vamos ser. Com efeito, uma vez entendido como o cérebro se desenvolve, podemos treinar os nossos cérebros para a saúde, vibração e longevidade. Salvo uma doença física, não há razão alguma para que não possamos permanecer ativamente ocupados além dos 90 anos.”

Estas palavras são do Dr. John J. Ratey, e estão no excelente livro “O Cérebro – Um Guia para o Usuário”.

Os mais recentes achados da neurociência tem demonstrado que podemos condicionar nosso cérebro para o que quisermos, bastando para isso planejamento, determinação e disciplina. Pense então sobre a atual capacidade de seu cérebro de comandar sua vida e seus estados de vida, e AJA para que estas mudanças aconteçam. Ah, e depois conte pra gente como foram as mudanças…

Posted in AÇÕES (qualidade de vida) | Etiquetado: , , , , , | Leave a Comment »

Sobre a correlação entre energia e alegria

Posted by Fabricio Pessoa em 28 janeiro, 2009

Hoje, durante minha oração da manhã, estava pensando sobre algumas determinações pessoais que fiz para este ano, e então repentinamente me “caiu uma ficha” sobre a relação que existe entre a alegria que sentimos e a energia que temos no nosso dia-a-dia.

Ouço e leio com frequência sobre a falta de motivação que as pessoas sentem às vezes, sobre como de vez em quando bate um desânimo com as coisas que acontecem por aí, e sobre como a ansiedade e a depressão podem acabar se instalando nos corações e nas mentes de maneiras que sequer conseguimos entender ou explicar.

Vendo a forma com que estas coisas negativas afetam nosso estado de vida, fiquei com a impressão de que, quando elas acontecem, a primeira parte a ser atingida em nós é a alegria que sentimos no momento.

E é aí que fica clara a relação que temos entre nossa alegria e nossos níveis de energia.  Digo isso porque, quando algo ruim ou imprevisto nos acontece, a primeira reação que temos é evidentemente negativa, o que por sua vez pode desencadear uma série de reações adversas em nossa psique ou mesmo em nosso organismo.

Note que a relação entre alegria e energia é mesmo muito forte: se não atentarmos para isso, ou seja, se não tivermos o cuidado de evitar que imprevistos ruins nos afetem, tanto nossa alegria quanto a energia que tivermos para tocar a vida serão afetadas, talvez até na mesma medida.

 Por isso, e pra ajudar, seguem abaixo dez toques que podem ajudar a manter seu equilíbrio perante situações adversas. Use sem moderação (rs):

– Esteja preparado para tudo: Se possível, reserve um tempo na parte da manhã para pensar nas eventualidades que poderão ocorrer com você, tanto positivas quanto negativas. Isso traz equilíbrio e auto-confiança no decorrer do dia;

– Mantenha equilíbrio nos diálogos: conversar com alguém significa troca de idéias, de posições e de esperanças. Pode acontecer que você ouça algo contrário a seus ideais ou ao que você quer, mas isso deve ser encarado como um estímulo à conversação e ao esforço pela harmonia entre diferenças;

– Ao enviar e-mails ou textos escritos em geral, PENSE antes de escrever: como o e-mail é um recurso muito fácil e rápido de ser usado, é fácil cairmos no impulso de também sermos rápidos na comunicação, e é aí que as falhas de comunicação e os atritos tendem a surgir. Tenha calma e equilíbrio também nesse ponto;

– Exercite-se: é chover no molhado, mas a prática regular de exercícios físicos é mesmo fundamental para a manutenção de um corpo equilibrado, o que facilita o processo de manutenção de energia;

– Reflita sobre a teoria dos “Dois Gigantes”: lembra da história do anjinho e do demônio que habitam na cabeça de toda pessoa? É mais ou menos a mesma coisa: através de todos os seus pensamentos você poderá alimentar tanto o gigante mal quanto o gigante bom que está aí.  Reflita a respeito disso: qual dos dois gigantes os seus pensamentos tem alimentado mais ?

– “Se você quer entender como chegou até o presente, pense nas causas que fez no passado; se você quer entender como será o seu futuro, pense nas causas que você está fazendo no presente”: esta frase de Nitiren Daishonin já diz tudo, mas vale a sugestão: reflita, entenda, planeje, determine e persista !!!

– Procure melhorar sempre: O que significa essa frase? Bom, aí é com você…

– Use a regra de ouro: faça aos outros o que gostaria que fizessem com você. Simples na teoria, mas na prática é bem mais difícil de fazermos acontecer…

– Lembre-se sempre das coisas e das pessoas que lhe fazem feliz: ou melhor, pense, e esteja o máximo possível em contato com elas. Essa prática é importantíssima para a sua alegria interior;

– Faça agora, pra não se arrepender depois: Essa frase é de Jeff Bezos, presidente da Amazon, e é uma boa síntese para todas as mudanças que queremos para nossas vidas. Se você quer mudar algo, comece agora!!!

 

É isso…

(é permitida a reprodução, desde que citada a fonte)

Posted in AÇÕES (qualidade de vida) | Etiquetado: , , , , , , , | 2 Comments »

 
%d blogueiros gostam disto: